Matheus Chiaratti

e a sua terra como referência:

Rivane Neuenschwander

Travar a batalha com um trabalho, destrabalhá-lo, correr dele para depois chegar nele; seduzi-lo. Raspar as réstias de luz e invocar as presenças, buscar se proteger corroborando, desenrolar leve do pergaminho. Surrupiar o material para depois amá-lo, conceder e ludibriar. Estou frente a obra que me causa o estupor tremendo, vejo as luzes de cores e o fio abaulado concatenando milagres com outros fios, perduro a palavra na minha boca. Erótico. Engulo a saliva, massageio as paredes internas da bochecha com a língua, ensalivo-me. Um gozaréu imenso se adianta e caminha nas paredes do meu corpo sem força pra escapar.

 

Travar a batalha com um trabalho.

 

(a)casos eróticos é uma série de bordados de Rivane Neuenschwander que descobri em 2014 quando ainda era assistente de vendas da galeria que representa a artista. Não tinha maneiras de responder a esse atravessamento a não ser produzindo uma obra-licença que não deixa de ser uma homenagem, mas é também – e, sobretudo – uma obsessão. Explicitei nele o erótico em falos voadores, trechos de paus e bolas e alguma coisa a mais. Demorou a acontecer, afinal, bordar é uma ação que percorre o tempo a fio, perdura, se prolonga, devaneia. Bordar é também uma penitência, só que deixando rastros.

 

 

INFO

Amarello - clique aqui para ver a matéria na webpage da revista

Edição de décimo aniversário

Dezembro, 2019

RN10519_Acasos Eroticos_DDH.jpg

RIVANE NEUENSCHWANDER

(a)casos eróticos [Erotic Cases] 9, 2014

Bordado à mão sobre guardanapo

31 x 43 cm

© Rivane Neuenschwander. Foto: Eduardo Ortega. Cortesia [Courtesy] Fortes D'Aloia & Gabriel, São Paulo e Rio de Janeiro / e [and] Stephen Friedman Gallery, London

MATHEUS CHIARATTI

O que é do homem, o bicho não come (Rivane), 2017-18

Bordado à mão sobre guardanapos de linho

75 x 90 cm

 

Foto: Julia Thompson